ALTA RELOJOARIA

Delicadeza e tecnologia na alta relojoaria este ano

Salão de Genebra reúne lançamentos de 16 grifes, que atiçam a cobiça de colecionadores do mundo todo


Brasil Econômico- Patrícia Nakamura e agências |


Brasil Econômico
Divulgação
Reverso, da Jaeger-Le Coultre
O mais caro, o mais criativo, o mecanismo mais complexo, o mais belo, os materiais mais raros. Todos os anos, o Salon International de la Haute Horlogerie (ou Salão Internacional da Alta Relojoaria), realizado em Genebra, Suíça, é palco de uma verdadeira guerra entre os principais fabricantes de cronógrafos que reúnem precisão e requinte em peças que podem custar vários milhares de euros.
A 23ª edição do evento, encerrada no domingo, reuniu 12,5 mil expectadores entre varejistas, fornecedores e convidados das 16 grifes expositoras. Muitos dos modelos exibidos no salão são de séries limitadas, disputados a tapa por colecionadores do mundo todo — as linhas femininas ganharam bastante destaque na edição deste ano.
O salão ocorre num momento animador para a indústria. A área de relógios da Richemont, controladora da Cartier, IWC, Baume &Mercier e Van Cleef and Arpels, registrou alta de 4% nas vendas no trimestre fiscal encerrado em 31 de dezembro, alcançando US$ 1,97 bilhão. A abertura de butiques próprias na Ásia e nos Estados Unidos sustentaram o desenvolvimento dos negócios.
Além disso, as principais casas de Genebra estão de olho nas celebrações do Ano Novo Chinês, em 13 de fevereiro, período em que disparam as vendas de artigos de luxo.
Entre os principais lançamentos exibidos no SIHH deste ano estão o Rotonde de Cartier e a coleção Art Foliage da Vacheron Constantin — além, claro, da delicadeza das peças da nova coleção de Van Cleef & Arpels, de acordo com especialistas.



Precisão

A precisão dos modelos da Van Cleef and Arpels vai além dos mecanismos. As peças foram confeccionadas com uma mistura delicada de várias técnicas como cravejamento, escultura, pintura e gravação em metais preciosos. Pérolas, laca, ouro e, claro, diamantes, estão entre os materiais usados nas peças. A nova coleção terá como símbolos o lírio, a flor de lótus, a borboleta, o dente de leão e a andorinha. Cada nova peça será adornada por uma fila tripla de diamantes e pedras coloridas na catraca.
Outro destaque da feira está a nova linha da coleção Reverso, da Jaeger-LeCoultre, casa que completa 180 anos.As novidades são o Grande Reverso Lady Ultra Thin Duetto Duo, para o público feminino, e o Reverso Ultra Thin Duoface, para homens, peças com dois mostradores capazes de exibir fusos horários diferentes com um mesmo maquinário. Seu preço ao varejo não foi revelado.
Outra grife que apostou nos detalhes suntuosos foi a Cartier, com a coleção Les Heures Fabuleuses (As Horas Fabulosas), cujas principais características são a montagem artesanal e o encravamento dos diamantes. O principal tema é a metamorfose do tempo, que a companhia traduz na versatilidade de usar a peça como um broche, um pendente e até mesmo como relógio. Ganhou ares renovados o modelo Panthère Divine Watch, feito em diamantes, ouro branco e ródio.



Presença feminina

A Vacheron Constantin lançou três linhas exclusivamente femininas no salão. A coleção Patrimony engloba criações originais com ares contemporâneos, com formas arredondadas. Os modelos são equipados de cristal de safira transparente.
Para o público masculino, teve destaque o RM027 Tourbillon, da Richard Mille. Com materiais tecnológicos e leves, o modelo tem como principal garoto propaganda o tenista espanhol Rafael Nadal. O modelo terá apenas 50 exemplares comercializados no mundo todo.
Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

FONTE: IG ECONOMIA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO CONVERTER CRUZADOS EM REAIS?

MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO (EMPRESARIAL)

Como tirar o registro profissional(Mtb) - Jornalistas