domingo, 30 de junho de 2013

ILHA-MANSÃO DE SCHUMACHER

Reprodução

Mansão? Schumacher tem logo uma ilha!

Piloto alemão é dono de uma ilha exuberante; outros pilotos e integrantes da F1 também esbanjam Veja 
 
 
FONTE: YAHOO            

CARROS NOVOS

Novo Honda Accord chega por R$ 120 mil
    FONTE: MSN

sexta-feira, 28 de junho de 2013

CARROS VOADORES QUE PODEM VIRAR REALIDADE

Protótipos que podem virar realidade

Carros voadores

Protótipos que podem virar realidade


Os carros voadores mais próximos de se tornar realidade

Conheça os cinco carros voadores com maior chance de ganhar as ruas e os céus das grandes metrópoles

Rafael Freire , especial para o iG


Fugir dos congestionamentos, reduzir o tempo entre as distâncias e ganhar em qualidade de vida é um dos sonhos mais frequentes de quem vive nas grandes metrópoles. Pois esse desejo está mais perto de se tornar realidade do que se pensa. Confira abaixo alguns dos protótipos de carros voadores mais próximos de serem habilitados e ganharem as ruas. Ou melhor, o céu.



FOTOS EM



1- Moller M400 SkyCar
Construído pela empresa americana Moller International, o M400 SkyCar tem visual bem futurista , que lembra os caças de guerra . Seu desempenho também faz jus à aparência. Ele atinge até 579 km/h e chega a 10 mil metros de altura. Uma de suas maiores peculiaridades é ser movido a etanol e ter capacidade para pousar e decolar na vertical. Leva até quatro passageiros e já está à venda por cerca de US$ 650 mil.


2- Terrafugia Transition
O Transition deve ser o próximo carro voador a chegar ao consumidor. Com capacidade para levar duas pessoas, seu protótipo decolou pela primeira vez em março de 2012. O modelo tem asas dobráveis – o que permite guardá-lo na garagem –, atinge até 185 km/h e tem autonomia de 787 km. Apesar de ainda não ter data marcada para entrega, seu preço está fixado em US$ 279 mil e a empresa já abriu reservas por US$ 10 mil.



Veja ainda:
- Viaje para o espaço de balão

           
3- Terrafugia TF-X
Evolução do Transition, o TF-X ainda só existe no papel. Segundo a fabricante americana Terrafugia seu desenvolvimento levará de oito a 12 anos. O modelo alcança velocidade máxima de 322 km/h e tem autonomia de 805 km. Ele é impulsionado por duas hélices movidas por um motor híbrido. A proposta da marca é que os condutores não precisem de licença específica para pilotá-lo, pois quase todos os procedimentos serão automáticos. Desta forma bastam cinco horas para aprender a dirigir o modelo.


4- Pal-V One, da Pal-V
Misto de carro, moto e helicóptero , o Pal-V One é um dos carros voadores mais versáteis que se tem notícia. Ele tem três rodas, lugar para dois passageiros, dupla de rotores na parte superior e hélice autodobrável na traseira. Na prática é quase o mesmo princípio de funcionamento de um helicóptero. O Pal-V requer uma pista de apenas 165 metros para decolagem e de 100 metros para pouso. Atinge velocidade máxima de 180 quilômetros por hora no ar e passa dos 100 km/h em terra. O modelo ainda é um protótipo e não há previsão de quando começará a ser vendido.


5- Yee
Criado pelo departamento de design industrial da escola de engenharia automotiva da China, o YEE tem linhas futurísticas que lembram um filme de ficção. Sua transformação de carro para avião, ou vice-versa, é feita por meio de controle remoto dentro da cabine. Depois de acionado, as duas rodas dianteiras se voltam para o lado e viram hélices. Movido à energia solar, o carro voador chinês tem capacidade de alçar voos de até 600 metros de altura. De acordo com os próprios engenheiros que o desenvolveu, a expectativa é que o Yee ganhe as ruas, ou os céus, em duas décadas.


Leia também:
- Os top 5 barcos de luxo
- Game de automobilismo vem com carro de corrida de verdade

FONTE: IG LUXO

2a. CHANCE

"A vida serve para oferecer 2ª chance"

De delinquente a multimilionário

"A vida serve para oferecer 2ª chance"


Ex-delinquente juvenil conta como se tornou empresário multimilionário

Após passar pelo mundo do crime, Ryan Blair dirige empresa avaliada em US$ 600 milhões

BBC | - Atualizada às
 
BBC
BBC
Ryan Blair foi detido mais de 10 vezes quando jovem
Com um histórico familiar de drogas e abuso por parte de seu pai, Ryan Blair entrou cedo, aos 13 anos, no mundo do crime. Mas conseguiu sair para se tornar presidente de uma empresa avaliada em US$ 600 milhões.
 
 
 
 
 
 
           
"Pensei que iria para a prisão. Meus irmãos e irmãs já tinham ido. E eu costumava ser detido e ir para os centros para menores delinquentes", conta o americano Blair, que foi detido mais de 10 vezes.

"O fundo do poço foi quando eu estava nestes centros de menores e vi ali um homem de uns 70, 80 anos de idade que acabara de ser condenado, porque eles misturam jovens a adultos quando todos vão a julgamento. Pensei que me tornarei aquilo."
A partir daquele momento, sem ter uma solução à vista, Blair decidiu pedir clemência ao juiz, prestes a sentenciá-lo a quatro anos de prisão, o que, segundo o ex-menor infrator, o "teria condenado a uma carreira criminosa".
"Escrevi a ele uma carta implorando por leniência e prometendo uma mudança em meu comportamento. E ele disse: 'Ryan, você deveria estar escrevendo do assento de uma universidade. Essa foi a melhor carta de apelo que já recebi. Você deveria ser um escritor.'"



'Tudo a ganhar'
           
E foi o que ocorreu. O juiz mostrou clemência, Ryan não foi para a prisão, teve uma oportunidade de trabalho através do namorado de sua mãe e acabou ingressando no mundo dos negócios.
Em 2011, lançou um livro que acabou entrando na lista dos cinco mais vendidos nos Estados Unidos: "Nothing to Lose, Everything to Gain: How I Went from Gang Member to Multimillionaire Entrepreneur" ("Nada a perder, tudo a ganhar: Como deixei de ser membro de uma gangue e me tornei um empreendedor multimilionário", em tradução livre).
"Todo indivíduo quer fazer as coisas melhor. E as pessoas cometem erros toda hora. Mas a vida serve para isso, para que as pessoas tenham uma segunda chance. E aquele juiz me deu uma segunda chance. Eu aproveitei."
Blair passou a dar palestras em prisões e casas de correção para menores e também para serviços de caridade. Ele afirma que o primeiro conselho que dá a menores infratores é para que se afastem das gangues na vizinhança onde moram.
"A melhor maneira de fazer isso é arrumando um trabalho de fim de semana, de preferência à noite, que é quando as gangues costumam agir. Então, é preciso ter uma atividade que afaste o jovem das gangues."
Ele também aconselha que, assim que conseguirem guardar dinheiro suficiente, estes jovens deixem o local onde vivem.
"Recomendo que mudem para um lugar em que ninguém os conhece, em que as pessoas não sabem da má reputação que o jovem tem."
Atualmente, Ryan Blair dirige uma empresa que produz comida para pessoas que precisam perder peso, avaliada em US$ 600 milhões.



FONTE: IG ECONOMIA

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Telexfree: Ministério Público do Acre inicia investigação criminal

Inquérito é a 2ª investigação criminal aberta contra a empresa, suspeita de criar pirâmide

Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às
 
Divulgação/MP-AC
Lovisero: 'se há pirâmide, há possibilidade de crime'
A Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Decco) do Acre instaurou um inquérito para investigar se os sócios da Telexfree cometeram crime contra a economia popular e lavagem de dinherio, entre outros delitos. É ao menos a segunda investigação criminal em andamento contra a empresa, suspeita de ter ser usada para criar uma pirâmide financeira de grandes proporções no Brasil e no exterior.
 
A determinação é do Ministério Público do Acre (MP-AC), órgão que já vem investigando a Telexfree na esfera civil. A abertura do inquérito policial, feita a pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-AC, significa a entrada da esfera criminal do órgão nessas investigações.
 
"Se a pirâmide está de fato configurada, haverá a possibilidade de cometimento, em tese, de crime contra a economia popular, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e eventualmente outras tipificações", diz o promotor Danilo Lovisaro, integrante do Gaeco e um dos responsáveis por solicitar a abertura do inquérito, ao iG .
 
Sediada no Espírito Santo (ES), a Telexfree informa ser uma empresa de venda de pacotes de telefonia por internet (VoIP, na sigla em inglês) via meio de marketing multinível. No último dia 18, entretanto, a Justiça do Acre determinou a suspensão de pagamentos aos divulgadores e a entrada de novos associados , por suspeita de que o negócio se trata de uma pirâmide.

Os bens dos administradores da companhia foram bloqueados, pois o MP-AC vai exigir a devolução do dinheiro a todos os divulgadores .
Os representantes da Telexfree negam qualquer irregularidade e dizem que vão tentar reverter a decisão.

"É só uma suspeita de que pode ter ocorrido crime. Ainda não ouvimos ninguém", ressalva o delegado Nilton Boscaro, responsável pela investigação criminal da Decco.



'Investigam há um ano e nada encontram'
Um primeiro inquérito criminal contra a Telexfree já havia aberto sido neste ano pela Delegacia de Defraudações de Vitória (Defa), depois que a empresa foi posta sob suspeita pelos ministérios da Justiça e da Fazenda . Um pedido de prisão dos sócios da empresa chegou a ser solicitado pela delegada Gracimeri Gaviorno, mas foi negado pela Justiça.

Além de crime contra a economia popular por montar pirâmide financeira – cuja pena é de seis meses a dois anos de prisão e multa –, a delegada também apura se os responsáveis pela empresa cometeram crime de especulação, que pode implicar em um a três anos de prisão mais multa.

O Ministério Público do Mato Grosso (MP-MT) também chegou a investigar a Telexfree, mas os dados foram enviados para compor o inquérito capixaba. Hà hoje um inquérito civil em andamento no MP-MT.

O advogado da Telexfree e dos sócios administradores da empresa, Hosrt Fuchs, ressaltou que a abertura de um inquérito não significa que qualquer irregularidade tenha sido cometida.

"Como advogado e como professor de Direito Constituciona, eu questiono [ a divulgação da abertura do inquérito ] porque o direito à imagem está sendo violado nesse caso", afirma Fuchs. "Estão investigando a empresa há um ano, as pessoas jogam lama [ na imagem da empresa ] e não provaram nada."

Fuchs também critica a falta de regulamentação adequada para o mercado de marketing multinível.
"Se o Estado quer condernar [ a atividade de marketing multinível ], que estabeleça em lei o que pode e o que não pode."


FONTE: IG ECONOMIA

CONGRESSO DERRUBA ATÉ VOTO SECRETO


 
 
 
 
  •  
    Acelerado, Congresso corta até voto secreto
     
     
    Pressionados por manifestações, parlamentares aprovam propostas que estavam no limbo há anos

  • Planalto sugere 3 questões do plebiscito
  • Dilma ouve partidos sobre reforma política
  • GO adota passe livre estudantil em 20 cidades
  • FT: slogans revelam consumismo e alienação
  •  
     
     
    FONTE: MSN

    SERVIÇOS SÓ PARA OS RICOS

    Foto: Thinkstock

    Que tal um designer de árvore de Natal?

    De calçada aquecida a cinema particular: veja os serviços que facilitam a vida dos milionários Para quem pode
     
     
    FONTE: YAHOO 

    RONALDINHO: NOVO MERCADO

    Foto: Ronaldinho (Estadão Conteúdo)

    Ronaldinho investe em um novo mercado

    Em uma campanha contra a Aids, jogador do Atlético-MG lança preservativo com assinatura Leia
     
    FONTE: YAHOO 

    HONDA: RECALL

    Foto: Divulgação

    Honda faz recall de 186,5 mil carros

    No Brasil, modelo Fit apresenta possível falha nos vidros elétricos que pode causar incêndio De 2003 a 2008
     
    FONTE: YAHOO 

    CANCELAMENTO DA COPA: OPINE

    Foto: Estadão Conteúdo

    Ministro não teme cancelamento da Copa

    Aldo não acredita que imagem do Brasil tenha manchado e único problema seria a entrega dos estádios Opine
     
    FONTE: YAHOO 

    INÉDITO: PRISÃO DE DEPUTADO !!!

    Agência Câmara

    Supremo determina prisão de deputado

    Natan Donadon (PMDB-RO) foi condenado por formação de quadrilha e desvio de verbas públicas Leia mais
     
    FONTE: YAHOO 

    FERRARI FXX: SEU CARRO !!

    Foto: Ferrari (Divulgação / Ferrari)

    Ferrari FXX pode ser sua por R$ 5,84 mi

    Modelos exclusivos, que pertenceram a Michael Schumacher, são vendidos por concessionária na Suíça Leia mais
     
    FONTE: YAHOO 

    CARRO

    Foto: ThinkStock

    Seu carro é um beberrão de combustível?

    Saiba fazer as contas e veja o quanto seu veículo realmente consome durante o uso cotidiano Entenda a conta
     
    FONTE: YAHOO 

    COISAS MAIS CARAS DO MUNDO

    Reprodução

    Quais as coisas mais caras do mundo?

    Lista mostra quais os produtos mais caros do mundo em diversas categorias de consumo Bebida, comida, droga...
     
    FONTE: YAHOO 

    SENADO APROVA ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL

    AE

    Senado aprova medida contra corrupção

    Alteração no Código Penal foi aprovada por senadores e será encaminhada para a Câmara Leia e entenda
     
    FONTE: YAHOO 

    É POSSIVEL MUDAR SEU ESTILO DE LIDERANÇA

    Seu chefe é um bom líder? Conheça seis estilos de liderança

    Pesquisa do Hay Group mostra que 63% dos chefes brasileiros não conseguem mesclar estilos diferentes de liderança para criar um clima harmonioso em suas equipes

    Murilo Aguiar - iG São Paulo |
     
    Você já sentiu que não recebeu o reconhecimento merecido quando atingiu uma meta imposta por seu chefe ou realizou uma tarefa com sucesso? E, no entanto, quando você comete um erro, o seu líder não demora nem um minuto para criticar o seu modo de trabalho? Pois saiba que esta situação é mais comum do que se pensa.
    Segundo estudo da consultoria global de gestão de negócios Hay Group, realizado a partir de um banco de dados com informações de 95 mil líderes de mais de 2.200 organizações ao redor do mundo, a maioria dos chefes cria climas desmotivadores entre seus colaboradores. No Brasil, 63% de 3.089 dos líderes pesquisados não conseguem criar um clima harmonioso em suas equipes.
     
     
    SXC
    No Brasil, 63% dos líderes criam climas desmotivadores em suas equipes
    A consequência da liderança inflexível é um desempenho organizacional abaixo do que seria alcançado caso a equipe fosse motivada por um chefe eficiente. A consultoria utilizou como base para o estudo a pesquisa realizada pela Universidade de Harvard, que definiu seis estilos de liderança predominantes entre os chefes – o coercitivo, o dirigente, o democrático, o afetivo, o modelador e o treinador.
     
     
     
    Os seis estilos
               
    Coercitivo – Conhecidos como mandões, são os chefes que dizem à equipe o que fazer. Sempre vigiando o resultado, tendem a criticar o que está sendo feito errado, mas não são bons em elogiar os colaboradores quando estes alcançam o objetivo traçado. Este estilo, porém, é importante em situações em que a empresa esteja passando por controle de custos, momentos de austeridade e necessite de respostas rápidas. O chefe coercitivo é abrupto, mas assertivo.

    Dirigente – São os líderes que focam no resultado em longo prazo e fazem questão de criar climas positivos, conquistando e motivando a equipe, para que os colaboradores deem o seu melhor. São chefes importantes em situações em que a clareza, o propósito e a criação de uma aspiração para o time é requerida. Esse é o estilo da direção.
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
    Afetivo – Carinhosos, estes líderes criam harmonia na equipe e tendem a dar mais atenção às pessoas que às tarefas que elas realizam. Para eles, tratar bem os colaboradores é garantia de lealdade e bom desempenho. O estilo afetivo é ideal para momentos de baixa moral, em que o time esteja sofrendo por alguma razão, como perda de pessoas ou resultados.
     
    Democrático – Este estilo de liderança tenta dividir as responsabilidades entre a equipe, envolvendo os membros nos processos de tomada de decisões para alcançar o objetivo. O líder democrático é importante em situações em que as pessoas precisam de espaço para falar, como momentos em que a empresa requer inovação e reinvenção de um modelo de atuação.

    Modelador – Inflexível, o líder modelador acredita que a sua forma de trabalhar é a melhor e tende a dar instruções detalhadas para que sua equipe realize o serviço à sua maneira, sem abertura para opiniões alheias. Este estilo é necessário em situações em que as pessoas precisam produzir com rapidez e em alto padrão de qualidade. O chefe modelador ensinará exatamente o que tem que ser feito, para o alcance rápido do resultado.

    Treinador – Este líder põe em risco o desempenho em curto prazo para alcançar bons resultados em longo prazo, investindo tempo para entender quais são os pontos fortes e fracos de cada indivíduo de sua equipe para distribuir as tarefas adequadas às características de cada um. O chefe treinador vai garantir que esteja formando pessoas para o futuro da organização.



    O chefe ideal
               
    De acordo com Glaucy Bocci, gerente e líder da Prática de Liderança para América Latina do Hay Group, para que um chefe crie um clima motivador dentro de sua equipe, é preciso que ele saiba usar de quatro a mais estilos de liderança, já que cada um deles pode ser utilizado em diferentes situações de trabalho.
    Divulgação
    Glaucy Bocci: “Um estilo não é o suficiente para gerar um impacto poderoso no clima [do ambiente de trabalho]"
    “Tipicamente, a combinação dos estilos dirigente, democrático, treinador e afetivo tende a gerar um clima considerado de alto desempenho”, aponta Glaucy. Para a executiva, estes quatro reúnem as melhores características de uma liderança. O chefe que consegue mesclar esses estilos lidera com clareza, consegue dar direção à sua equipe, dá retornos positivos e negativos quando necessário, abre espaço para a participação de seus colaboradores e dá atenção à criação de um ambiente de trabalho mais harmônico.
    “Um estilo não é o suficiente para gerar um impacto poderoso no clima [do ambiente de trabalho]. Qualquer um deles, sozinho, é pobre”, conta a gerente, que lembra que a cultura da organização também acaba ditando alguns padrões de liderança, tornando mais difícil para o chefe a utilização dos diferentes estilos.
    Outros fatores que também podem ditar o estilo de liderança de um chefe são suas características pessoais. “Se eu tenho um traço mais autoritário, por uma questão de educação familiar, é possível que eu reproduza isso no ambiente em que eu estou e me torne um líder mais coercitivo e modelador”, conta Glaucy.
    A gerente também aponta que a cultura do ambiente na qual a organização está inserida influencia a maneira de chefiar das pessoas. “Tipicamente, não só o brasileiro, mas o latino de uma forma geral traz características muito forte de filiação. O estilo afetivo acaba sendo fortemente percebido em nossa cultura. O lado bom disso é a boa receptividade e a criação de um ambiente amistoso. Por outro lado, nós temos uma característica muito forte de evitar conflitos e não conseguimos separar muito bem a pessoa da performance, o lado profissional do lado pessoal. A gente prefere reclamar pra um terceiro do que falar para quem deveríamos falar, para não romper vínculos”, esclarece ela.



    É possível mudar o seu estilo de liderança
               
    De acordo com Glaucy Bocci, existem maneiras de um chefe reconhecer que não está liderando sua equipe de forma eficaz. Além da análise dos resultados, é preciso tomar conhecimento sobre os diferentes estilos de liderança e as situações em que eles são necessários, para tentar identificar em si mesmo qual estilo já domina e qual não está sendo aplicado.
    Outra alternativa é pedir que seus colaboradores diretos façam um relatório sobre seu estilo de liderança, apontando as características positivas e negativas de seu comando. Assim, o chefe pode tentar adaptar os pontos negativos e praticar no seu dia a dia os diferentes estilos de lideranças. “O coercitivo, por exemplo, manda fazer sem dar muito sentido e nem direção. O dirigente também manda fazer, mas cria um contexto, um propósito e uma direção. À medida que eu conheço esses conceitos e eu percebo essa linha tênue, eu tento substituir e incorporar comportamentos novos”, conta a gerente.

    Veja também: É possível trabalhar meio período e ter sucesso profissional? 
                              
    Em organizações onde o diálogo entre os empregados é permitido, o próprio colaborador que sentir que seu chefe não está sendo assertivo pode ser transparente e dialogar sobre o que não está gostando. “Por mais difícil que isso seja, [nesta situação] eu sentaria com meu chefe e diria ‘Estou vendo coisas aqui que não fazem sentido, como eu posso te ajudar?’. Oferecer-se para ajudar é uma coisa boa, porque você não simplesmente critica, mas estende a mão e mostra que está disponível”, conclui Glaucy.


    FONTE: IG ECONOMIA - CARREIRAS

    Álcool de bagaço é realidade no País a partir de 2014

    Granbio começa a produzir no primeiro trimestre do ano que vem. Raízen, Odebrecht, Petrobras e CTC estão desenvolvendo projetos

    Brasil Econômico |
     
    Brasil Econômico
               
    Principal aposta para aumentar a oferta de etanol no país, o etanol celulósico – combustível produzido a partir do bagaço, folhas, cascas e outros resíduos da produção de cana-de-açúcar, é a estrela do Ethanol Summit, que começa hoje em São Paulo. A expectativa do setor é que o etanol de segunda geração aumente a produção nacional desse combustível em mais de 50%, sem necessidade de expansão da área de plantação.
    Isabela Kassow
    Cana cortada manualmente
    "O etanol de segunda geração não é mais uma promessa. Não estamos falando mais de testes ou usinas pilotos e sim de empresas que inauguraram usinas de porte comercial", afirma o diretor de comunicação e marketing da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Adhemar Altieri.
    Altieri lembra que, com uma situação única, pela quantidade de biomassa disponível, o Brasil sempre foi visto como um país de bastante potencial para a produção de etanol. "Com isso, todas as empresas mundiais que tem projetos em desenvolvimento tem procurado e firmado parcerias com companhias brasileiras", afirma. "Temos hoje importantes projetos como o da Granbio, Raízen, Odebrecht, Petrobras e CTC. O setor está em plena atividade no país", comemora o diretor da Unica.
    O projeto da Raízen vai passar por aprovação do conselho de administração em julho. A Odebrecht Agroindustrial firmou recentemente acordo com a dinamarquesa Inbicon para desenvolvimento de seus projetos de etanol celulósico. A Petrobras tem meta de iniciar a produção comercial em 2015. A planta do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) deverá estar pronta para operação em meados de 2014.
    Alfred Swarcz, o consultor de Emissões e Tecnologia da Unica, lembra que o etanol de segunda geração é uma opção complementar à produção tradicional de etanol. "No início, os números serão modestos, com tendência a crescer. Mas nos próximos anos, com a disseminação da tecnologia, o etanol de segunda geração vai fazer a diferença e o mercado vai olhar com mais interesse", argumenta. "Estamos em um bom caminho".
    Segundo Swarcz, os estados que são os principais produtores de etanol tradicional, de primeira geração, também poderão se tornar os principais para etanol celulósico: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Alagoas e Pernambuco estão no páreo.
     
     
     
     
     
     
     
     
     
    Para a brasileira Granbio, o etanol de segunda geração já é uma realidade. A empresa será a terceira planta de etanol celulósico a entrar em operação no mundo e a primeira no hemisfério sul. As primeiras começaram a produzir no ano passado, na Itália e nos Estados Unidos. "E já começamos como a segunda maior, atrás apenas dos EUA", comemora Alan Hiltner, vice-presidente executivo e de novos negócios da Granbio. A planta em São Miguel dos Campos, Alagoas, entra em operação no primeiro trimestre de 2014. "Estamos rigorosamente dentro do cronograma", afirma Hiltner.
    Com investimento de R$ 350 milhões, ela terá capacidade de produzir 82 milhões de litros de etanol por ano. A meta da Granbio é produzir 1 bilhão de litros/ano de etanol de segunda geração até 2020. Segundo o executivo, a empresa deve anunciar ainda neste ano a instalação de uma segunda unidade de produção de etanol de segunda geração. "Já estamos estudando um local ".
    A Granbio apoia seu plano de negócios nas previsões de consumo de etanol da Unica, que prevê que os atuais 22 bilhões de litros consumidos no mercado interno saltarão para algo entre 47 bilhões e 68 bilhões de litros em 2020.
    "Além da frota flex, temos ainda a mistura com a gasolina, que cria uma demanda maior do que a produção tradicional pode atender”, explica Hiltner. Fora isso, os produtores estão mirando o mercado norte-americano. O custo de etanol de segunda geração deve ser 20% mais baixo que o de primeira geração.
    A Granbio é uma das grandes apostas do BNDES para tornar viável economicamente o etanol de segunda geração. Tanto que o banco aportou R$ 600 milhões no projeto e analisa atualmente seis outros projetos do combustível.


    FONTE: IG ECONOMIA

    quarta-feira, 26 de junho de 2013

    TELEXFREE: REEMBOLSO

    Telexfree: Ministério Público vai pedir devolução de dinheiro aos divulgadores

    Solicitação será feita até o fim da semana em ação civil pública; empresa vai recorrer

    Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às
     
    Divulgação/MP-AC
    'Vamos pedir a nulidade dos contratos', diz Nicole
    O Ministério Público do Acre (MP-AC) vai pedir à Justiça que a Telexfree, nome fantasia da Ympactus Comercial LTDA., devolva o dinheiro aos divulgadores que pagaram para entrar no sistema, disse ao iG a promotora Nicole Gonzalez Colombo Arnoldi,  nesta terça-feira (25). Só não se sabe se haverá verba para todos.
    A solicitação será feita na ação civil pública que o órgão irá apresentar à Justiça até o fim desta semana. No último dia 18, o MP-AC já havia conseguido uma liminar que suspendeu os pagamentos e o cadastramento de novos divulgadores, com o objetivo de garantir o ressarcimento de quem já aderiu à rede.
    "Vamos pedir a declaração de nulidade dos contratos e a devolução do dinheiro aos divulgadores. Para todos divulgadores [ do País ]", diz Nicole. O ressarcimento depende de a Justiça, que já determinou o bloqueio dos pagamentos da Telexfree, aceitar o novo pedido do MP-AC.
     
     
     
     
                              
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
    Segundo a promotora, ainda é impossível saber qual é o montante a ser devolvido e se a Telexfree terá dinheiro para ressarcir todos. "A gente não sabe porque não sabe qual é o passivo ou o ativo [ da empresa ]", afirma a promotora. "[ Será feita a devolução ] do que for possível.”
    Em março, o advogado da empresa, Horst Fuchs, disse que a Telexfree tinha cerca de 400 mil associados. No mesmo mês, Carlos Costa, um dos sócios da empresa, falava em 600 mil.
    A forma pela qual a devolução será feita só deverá ser definida depois de uma eventual decisão favorável da Justiça. Possivelmente, cada divulgador teria de apresentar o extrato de sua conta na Telexfree – o back office  – em um pedido judicial na fase de execução da sentença (quando o mérito da questão já foi decidido).
    Ainda não se sabe, também, se essas solicitações teriam de ser feitas à Justiça do Acre, onde tramitará a ação civil pública, ou se seria possível apresentá-las nos estados em que os divulgadores residem.
    Perguntada sobre se quem se beneficiou do sistema até agora poderá ter de devolver recursos, a promotora Nicole diz não ter avaliado a questão.


    Suspeita de pirâmide
               
    Apresentada como um sistema de venda de pacotes de telefonia por internet (VoIP, na sigla em inglês) por meio de marketing multinível, a Telexfree está sob suspeita de se tratar de um esquema de pirâmide financeira.


    Leia também:  Mapfre desmente ter feito seguro da Telexfree 

                              
    Isso porque a principal fonte de receita seria não o produto comercializado, mas sim as taxas de adesão pagas por quem deseja atuar como divulgador da empresa. O agenciamento de novos divulgadores é uma das formas de se ganhar dinheiro com a Telexfree.
    Essa foi uma das justificativas apresentada pela juíza Thaís Khalil, da 2ª Vara Cível de Rio Branco para aceitar o pedido do MP-AC e suspender, no dia 18, os pagamentos e os novos cadastros. Também foram bloqueados os bens de Carlos Costa e Carlos Wanzeler, sócios da Ympactus Comercial. A decisão foi mantida nesta segunda-feira (24) pelo desembargador Samoel Evangelista.
    Seus representantes negam irregularidades. Ao iG , o advogado da Telexfree, Horst Fuchs, diz que já prepara um novo recurso ao Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), com os argumentos de que as decisões fogem à competência da juíza e do desembargador, e que já existe um outro processo semelhante em Vitória (ES), onde fica a sede da empresa.
    "As decisões são nulas porque [ a juíza ] não teria competência, porque [ o tema ] não é da área dela. A decisão é criminal. E o desembargador [ também ] é cível ", afirma Fuchs. "Em Vitória já existe uma ação na esfera criminal que já teve manifestação de juiz muito antes. E a juíza [ do Acre ] tomou decisões de um âmbito federal e ela é juíza estadual."

    FONTE: IG ECONOMIA

    Os relógios que valem por um carro


     



    Relógios que valem por um carro

    Feitos em material nobre e com complicações exclusivas, algumas peças são verdadeiros investimentos

    Marie Fava, especial para o iG 



    Os relógios que valem por um carro


                                                           
     
    Relógios de marcas tradicionais e exclusivas, como Rolex, Cartier, Montblanc, IWC, Panerai e Jaeger-LeCoutre extrapolam o conceito de peças indicadoras da hora e assumem o status de verdadeiros objetos preciosos, que chegam a custar o equivalente – ou até mais – a um carro de luxo . Feitos com pedras e metais preciosos, muitas vezes os modelos exclusivos também têm tecnologia de última geração e alta complexidade. Sem contar o design inovador e outras características agregadas a essas verdadeiras obras-primas.


    Mais:
    Hermès lança relógio para parar o tempo 


                 

    VEJA MAIS MODELOS & PREÇOS EM

     
    Uma das peças mais raras da temporada é o IWC Portuguese Sidérale Scafusia, o relógio mais complexo já criado pela IWC. Avaliado em pouco mais de R$1.7 milhão, ele une a hora solar à hora sideral (cerca de quatro minutos mais curto do que um dia solar médio), juntamente com mostradores astronômicos. Tudo à mostra no turbilhão com caixa em platina ou ouro vermelho.
    Ele é seguido de perto com o Patrimony Traditionnelle, lançado em edição limitada para marcar a abertura da primeira butique Vacheron Constantin em Paris. Avaliado em 550 mil euros (R$ 1,6 milhão), quase o equivalente a uma Ferrari Scuderia F430, tem  mostrador opalino prateado com guilloché artesanal, tourbillon, calendário perpétuo e pulseira de pele de crocodilo. 
    Logo atrás vem os modelos Montblanc TimeWriter II, à venda por R$ 902.520, e Villeret 1858 ExoTourbillon, com caixa em ouro branco maciço 18k e pulseira em couro de crocodilo, avaliado em R$ 804.420. 

    Já o TAG Heuer MikrotourbillonS, primeiro relógio deste modelo com cronógrafo de 1/100th de segundo magnético, sai por R$ 520.410, enquanto o Master Grande Tradition Minute Repeater Tivan, da Jaeger-LeCoultre, que promete atingir o máximo de precisão possível em um relógio com movimento mecânico automático, está à venda por US$ 217.730 (aproximadamente R$ 435.460), em série limitada de 100 peças. Um dos poucos modelos à prova d’água com repetidor de minutos, o relógio tem 15 dias de energia reserva, mostrador de movimento transparente. Com a mesma quantia de dinheiro é possível comprar um Porsche Cayenne 2012, cujo preço sugerido varia de R$ 339 mil a R$ 699 mil.

    Mais:
    Primeira loja da Goyard na América Latina será a primeira a ter serviço de customização


    Na Panerai, o modelo mais sofisticado é o Lo Scienziato – Radiomir Tourbillon GMT Cerâmica, em caixa de cerâmica de 48 mm. Criado em tributo a Galileu Galilei, tem mecanismos visíveis no mostrador, movimento mecânico de corda manual, reserva de marcha de seis dias, 277 componentes, turbilhão e indicação de segunda zona horária. Valor estimado: R$ 446.350. Já para ter um relógio Cartier, como o Santos 100 Turbilhão Flutuante, é preciso desembolsar a partir de R$ 247.300, mais do que a uma Range Rover Evoque , cujos preços iniciais estão entre R$ 164.900 e R$ 236.900. Delicada, a peça é feita de ouro branco, com cristais de safiras, com pulseira de couro de crocodilo.

    Nesta mesma faixa, é possível comprar um relógio Lady Polo, de 38mm de diâmetro, com caixa em ouro branco 18k, adornada por 50 brilhantes e mostrador de ouro branco com 386 diamantes (R$ 190.192). Na Rolex, tradicional marca de luxo, que vende em média em média 700 relógios por ano no Brasil, o destaque fica por conta do Day Date Special Edition, de 34 mm. A peça da é feita de ouro rosa, com mostrador de madrepérola e marcações em diamantes. O preço? R$102.834,50. Outra aposta da marca é o Rolex é o Sky Dweller em ouro branco 18 quilates, por R$125.448,20.

    Leia também:
    -
    Um Bentley pronto para o piquenique gourmet
    -
    Uma ilha para levar por aí
    -
    Quadriciclo ou jet ski? Fique com os dois

    Acompanhe as novidades do iG Luxo também pelo Twitter .
    (*) Valores apurados em junho/2013


    FONTE: IG LUXO