PROBLEMAS FINANCEIROS



Autossabotagem: Principal Causa de Problemas Financeiros

 
 
É difícil acreditar que podemos nos autossabotar, quando se trata de dinheiro. Mas infelizmente isso acontece e é um das principais causas dos problemas financeiros.
 
 
Acredito que somos os principais responsáveis por nossos problemas financeiros, pois tomamos importantes decisões quando estamos sob a influência de emoções.
 
 
Psicólogos e cientistas que estudam tópicos como Economia Comportamental têm descoberto coisas surpreendentes sobre como tomamos decisões financeiras, especialmente quando estamos “sob pressão“.
 
         
Autossabotagem: A Principal Causa de Problemas Financeiros



E o que eles descobriram mudou completamente como entendemos a psicologia do sucesso e fracasso em relação ao dinheiro e à riqueza.


Entendendo o Relacionamento Emocional com o Dinheiro

Você já ouviu alguma vez o famoso conselho do mercado de ações que diz “compre barato, venda caro”…?
Parece bastante simples, não é verdade?
Na verdade, podemos deixar essa regra ainda mais clara colocando dessa forma:
  • Se você comprar uma boa ação e seu preço cair, compre mais;
  • Se você comprar uma boa ação e seu preço subir, venda.
Mas o que a maioria dos investidores faz?
Quando compram uma ação e ela se desvaloriza, eles vendem (com medo de perder mais dinheiro).
Quando compram uma ação e ela se valoriza, eles compram mais (empolgados com o resultado e acreditando que o preço vai subir eternamente).
E esse comportamento faz com que a maioria dos investidores perca dinheiro.
Por que?
Porque…
Nós nos sabotamos, financeiramente falando.

Decisões financeiras sob influência de emoções

Agora vamos discutir sobre a tomada de decisões financeiras sob a influência de emoções.
A “Autossabotagem Financeira” é um das situações mais perigosas que enfrentaremos em nossa vida.
E já adianto duas regras que você deve seguir imediatamente em sua vida financeira:
  • Regra #1: Você não pode tomar uma boa decisão de compra quando estiver excitado ou empolgado.
  • Regra #2: Você não pode tomar uma boa decisão de venda quando estiver com medo.
Aqui está o motivo: Quando tomamos uma decisão financeira enquanto estamos sob influência dessas emoções nestas situações, vamos nos autossabotar na maioria das vezes.
E para entender melhor, devemos fazer outra pergunta:

O que são emoções?

Fiz algumas pesquisas rápidas sobre o que são emoções e sempre encontrei respostas diferentes para a mesma pergunta.
Ninguém consegue explicar exatamente o que uma emoção é, de fato.
Não temos tempo (nem é o foco do blog) para discutir a fundo sobre psicologia comportamental, mas certamente você já deve ter percebido que uma forte emoção pode literalmente mudar sua personalidade instantaneamente.
Você nota como literalmente “transforma-se numa pessoa diferente” quando está sentindo uma forte emoção, como raiva, medo ou felicidade?
Fazendo uma rápida analogia, emoções são como diferentes “personagens” que nós podemos assumir temporariamente, e cada personagem possui uma personalidade completamente diferente, com um diferente conjunto de comportamentos.
E quando estamos “sob a influência” de um determinado tipo de emoção, pensamos completamente diferente e nos comportamos completamente diferente do que se estivéssemos sob influência de outro tipo de emoção.
Então, se você muda de emoção, muda a forma que você pensa. Você também muda a forma que se comporta.

Como as emoções afetam a forma que você compra ou vende?

Você para na frente de uma loja, vê algo que quer, fica bastante empolgado. Então o que você faz?
A conhecida compra por impulso.
Pode ser uma nova TV, carro, computador, roupa, sapato, etc.
Vemos, gostamos, compramos.
E então o que geralmente acontece depois que fazemos uma compra por impulso… um, dois ou três dias depois?
Começamos a “voltar à realidade” e descobrimos que não apenas não precisávamos do que acabamos de comprar, mas também não devíamos ter gastado aquele dinheiro.
Em outras palavras, um sentimento de remorso.
Nós literalmente sentimos uma “mini-depressão” por ter tomado aquela decisão de compra.
Agora vamos pensar no outro lado da moeda:
Nós nos metemos em situações financeiras onde ficamos com medo que algo ruim possa acontecer conosco. Por conta desse medo, vendemos alguma coisa para conseguir dinheiro rapidamente.
E quando vendemos alguma coisa com pressa – por estarmos com medo ou urgência – conseguimos o melhor preço possível?
Claro que não!
Você provavelmente deve ter visto placas espalhadas pela cidade com frases como “Compramos seu carro à vista” ou “Compramos ouro. Pagamos em dinheiro”.
Por que você acha que essas placas estão espalhadas por aí?
Só há uma razão para isso… é porque…
Isso funciona.
Todo mundo passa por momentos de apertos financeiros.
Quando você está desesperado e com medo, venderá bens por valores muito menores do que valem realmente.
Logo, se você combinar ambas as situações que a maioria de nós faz:
  1. Comprar coisas e pagar caro quando estamos empolgados;
  2. Vender coisas quando estamos com medo – e receber um valor muito abaixo do mercado.
…e fizer isso durante toda a sua vida, certamente ficará como a maioria das pessoas: quebrada e dependente dos outros.
(Está gostando deste texto até aqui? Então cadastre gratuitamente seu e-mail para receber nossas atualizações!)


Duas regras para o sucesso financeiro

Na maioria das casos:
  1. Se você pretende fazer uma compra de menor valor, espere pelo menos uma semana antes de concluí-la;
  2. Se você pretende fazer uma compra de maior valor, espere pelo menos um mês antes de fechar negócio.
O principal objetivo aqui é parar de fazer compras por impulso, sempre que possível.
Quando você toma a decisão de parar de comprar por impulso, está dando o primeiro passo para sua liberdade financeira. Você começa a conscientemente construir o sucesso financeiro para o seu futuro.
E você aprenderá algo importante quando tomar essa decisão.
Aprenderá que vai conseguir sobreviver sem aquilo que deixou de comprar.
E começará a compreender que você é, na verdade, mais feliz dessa forma, ao deixar de comprar certas coisas.

Mais duas regras para o sucesso financeiro

Na maioria das casos:
  1. Não venda nenhum bem de valor quando estiver sob a influência do medo;
  2. Não venda nenhum bem de valor antes de consultar algum especialista (que possa avaliar seu bem a preço de mercado).
Quando estamos com medo, ficamos desesperados e tipicamente nos isolamos. Sentimos que ninguém poderia entender como uma situação ruim realmente é.
E como ninguém poderia entender nossa situação, tomamos decisões sem receber uma boa recomendação e, na maioria das vezes, “quebramos a cara” no longo prazo.
Então não se isole quando estiver com medo.
Não venda seus bens ou seu trabalho por menos do que eles realmente valem. E não adie a busca pela solução do problema financeiro até que seja tarde demais e você já esteja contra a parede.
Assim que você perceber que está numa situação financeira complicada, assuma a responsabilidade e aja imediatamente.
Pesquise bastante e procure por ajuda de profissionais. Encontre pessoas que já passaram por uma experiência semelhante.
Conte a eles sobre sua situação, deixe o ego de lado, esqueça a necessidade de “manter o status social” e se aconselhe com pessoas que sabem do que estão falando.
Na maioria dos casos, alguém com experiência será capaz de dar as diretrizes para você resolver o problema, sem a necessidade de sacrificar boa parte do patrimônio (físico ou intelectual) que você criou, ao vender seus bens, seu tempo ou coisas que são valiosas para você por míseros reais.
Novamente:
Não compre quando você estiver empolgado, e não venda quando estiver com medo.
Você perde bastante em ambos os casos.
Dica importante: Ainda mais perigoso que apenas comprar quando estiver empolgado e vender quando estiver com medo é usar o cartão de crédito, pegar um empréstimo ou fazer um financiamento quando está empolgado ou com medo.
Lembre-se que fazer empréstimos ou usar cartões de crédito estando sob a influência de emoção, multiplicará o tamanho do problema.

Conclusão – Recapitulando…

Ao longo deste artigo, vimos que – infelizmente – sabotamos a nós mesmos, financeiramente falando.
Vimos também como as emoções podem influenciar negativamente nossa tomada de decisões financeiras.
Para controlar as compras por impulso e vendas por medo, devemos seguir essas regras (na maioria dos casos):
  1. Se você pretende fazer uma compra de menor valor, espere pelo menos uma semana antes de concluí-la;
  2. Se você pretende fazer uma compra de maior valor, espere pelo menos um mês antes de fechar negócio;
  3. Não venda nenhum bem de valor quando estiver sob a influência do medo;
  4. Não venda nenhum bem de valor antes de consultar algum especialista (que possa avaliar seu bem a preço de mercado).
Ao seguir essas regras, você dará um importante passo para melhorar sua vida financeira, acumular riqueza e, no futuro, alcançar a liberdade financeira.
Para saber mais sobre o acúmulo de riqueza, recomendo a leitura do artigo 7 Fatores Comprovados Para Você Acumular Riqueza.
Por fim, caso queira “pegar um atalho” para alcançar a independência financeira, recomendo a leitura eBook Como Investir Dinheiro, livro eletrônico oficial do Quero Ficar Rico.

Agora eu tenho duas perguntas para você…

Pense numa situação onde realizou uma compra de maior valor por impulso e se arrependeu depois. Como se sentiu e o que faria de diferente no futuro, após esse aprendizado?
Agora pense numa situação quando estava com medo e que trouxe grande perda financeira posteriormente. Como você se sentiu e o que faria de diferente no futuro, após esse aprendizado?

Até a próxima!

Autor: Rafael Seabra - Quero ficar rico - Educação Financeira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO CONVERTER CRUZADOS EM REAIS?

MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO (EMPRESARIAL)

MODELO DE AVISO DE MUDANÇA DE ENDEREÇO