DINHEIRO EXTRA




ThinkStock
 

Saiba o que fazer com o dinheiro extra da restituição do IR

 
 
 
Educador financeiro ensina você a aproveitar o dinheiro do imposto de renda da melhor maneira 
 
 
 
 
 
 
 

Recebeu a restituição do IR? Veja a melhor maneira de usar o dinheiro extra

 
SÃO PAULO - A Receita Federal liberou na última segunda-feira, 16, nas contas dos contribuintes os valores para quem está no primeiro lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2014. Serão 1.361.028 contribuintes que declararam Imposto de Renda neste ano ou estavam na malha fina de outros anos que vão receber pelo Fisco a soma de R$ 2 bilhões. 
 
Independente da quantia, o dinheiro extra deixa entusiasmado alguns consumidores. Mas antes de decidir onde utilizar o recurso, é fundamental uma análise de como anda a sua saúde financeira.
O consumidor que está endividado ou com alguma dívida em atraso, deve primeiro quitar as suas dívidas para evitar o pagamento de juros ou cair na inadimplência. ”A primeira preocupação das pessoas deve ser com as dívidas, quem estiver com financiamentos ou dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito deve estabelecer uma estratégia para eliminar o problema. Essas dívidas devem ser as primeiras a serem combatidas, já que as taxas de juros são mais altas do que a lucratividade de qualquer aplicação segura”, acrescenta educador financeiro e presidente da DSOP Educação Financeira e da Editora DSOP, Reinaldo Domingos.

Uma segunda categoria de contribuinte - daqueles que não estão endividados, mas que não têm reservas -, deve deixar o recurso extra para um caso de emergência. "O recomendado neste caso é que ele poupe esse recurso ou guarde a maior parte para evitar qualquer tipo de imprevisto. Pesquisas mostram que a maior parte das pessoas se tornam inadimplentes por imprevistos. A existência de uma poupança é um investimento financeiro interessante nesses casos, pois permite resgatar do dinheiro a qualquer momento", afirma o economista da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), Flávio Calife.



Pensando no futuro

Já o contribuinte que possui poupança e que faz periodicamente o controle do dinheiro, pode optar por usar por alguma realização pessoal, como uma viagem ou a compra de um bem pessoal. "Isso é comum, é recomendável e é saudável para aqueles que têm o costume de poupar e está com a situação financeira controlada. Neste caso, ele pode se dar o direito de utilizar o dinheiro para algum tipo de realização pessoal", afirma Calife.

Ainda existe a categoria de pessoas que poupam e pensam mais a longo prazo. Aqueles que pretendem investir em um sonho de médio prazo, que abrangem um período de um a dez anos, Reinaldo Domingos aconselha linhas que tenham prazos pré-estabelecidos no período do sonho a ser realizado. "Dentre as opções recomendo Tesouro Direto, CDB, Fundo de Investimentos, Título do Tesouro e ouro. Neste caso, o melhor é pesquisar em pelo menos três instituições financeiras de grande porte", afirma.

Por fim, para quem deseja começar a investir em sonhos de longo prazo, acima de dez anos, o educador recomenda investir em Tesouro Direto, previdência privada e ações. No caso de investimento em ações, o melhor é investir no máximo 20% do dinheiro total com essa finalidade, isto porque existe grande risco por depender do desempenho da empresa na qual investe.



 

FONTE: YAHOO        
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO CONVERTER CRUZADOS EM REAIS?

MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO (EMPRESARIAL)

O QUE É CONTAINER REEFER?