ECONOMIA MODERNA: MÁQUINA GERA MUDANÇAS SURPREENDENTES




Esta máquina pode mudar

 a economia moderna

 
 
Facebook
 
 
 
Ao invés de vender produtos embalados,
a máquina vende tudo por peso
 sem custos de embalagem
 
'  Preços caem 40% em relação aos concorrentes »
 
 
 
 
Pedro Burgos

 

Esta máquina que vende comida barata

é das grandes inovações

latinoamericanas dos últimos tempos

 
 
 
 
 
image


A mais inovadora empresa da América Latina, segundo a prestigiosa revista americana Fast Company, fica no Chile, e é tocada por um rapaz de 26 anos, recém-formado em engenharia.
 
José Manuel Moller criou há dois anos a Algramo, junto com dois colegas, para fabricar máquinas de venda automática de itens de primeira necessidade, como arroz, lentilha e sabão líquido.
 
 
No Brasil estamos acostumados a usar vending machines para refrigerantes e no máximo alguns salgadinhos. Mas mundo afora, é possível comprar de tudo nessas máquinas, de lingeries a caviar. O que faz da Algramo diferente do resto é tanto o funcionamento quanto o propósito.
 
 
Ao invés de vender produtos embalados, a máquina vende tudo por peso (al gramo significa “por grama”).
 
O comprador coloca o vasilhame no bocal, seleciona a quantidade e pronto. Sem grandes custos de embalagem, marketing e estocagem, a máquina pode vender os produtos por até 40% menos que a concorrência.   

E essa era a grande motivação de Moller. Em uma entrevista recente para o jornal chileno El Dínamo, ele contou que enquanto estava na faculdade (a famosa Universidade Católica),
 
o rapaz se mudou para a periferia de Santiago.
 
 
A ideia era, junto de 4 colegas, tentar entender melhor os problemas da população.
 
E descobriu que as mercearias vendiam tudo mais caro.
 
Sem o poder de comprar em grande quantidade ou a logística dos hipermercados, as vendinhas acabavam cobrando mais da população que tinha menos dinheiro para pagar. Moller diz que há uma “imposto para pobres” na forma de produtos mais caros em quantidades menores.
 
 
A Algramo, que começou em uma incubadora social e recebeu financiamento da universidades e empresas como a Movistar, tenta resolver isso. Ao comprar em grandes quantidades, ela consegue negociar preços melhores, e como distribui menos variedade, a logística é simplificada. Parte do lucro vai para o dono do mercadinho onde a máquina é instalada. Já há 162 mercearias de Santiago com o sistema.
 
Você
 
A empresa irá agora competir no Vale do Silício com outras boas ideias – o prêmio é de 1 milhão de dólares. Moller diz que, se ganhar, vai usar o dinheiro para expandir as atividades para outros países que precisam da Algramo, como Brasil e Índia. As máquinas serão muito bem-vindas.



Pedro Burgos

Siga-me no Twitter (@Burgos)

Pedro Burgos
Pedro Burgos é jornalista, escreve há 10 anos sobre tecnologia em revistas (como Superinteressante e Galileu), sites (foi editor-chefe do Gizmodo) e até livro – lançou este ano Conecte-se ao que importa - Um manual da vida digital saudável, pela editora LeYa. É agnóstico: usa um iPhone, tem um Xbox One e navega no Chrome.          
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO CONVERTER CRUZADOS EM REAIS?

MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO (EMPRESARIAL)

O QUE É CONTAINER REEFER?