CONFIRA: ONDE INVESTIR EM 2016 ?


MELHORES INVESTIMENTO 2016


Resultado de imagem para INVESTIMENTOS FOTOS



Assim como 2015, o ano de 2016 promete ser marcante para os investimentos financeiros. Ao mesmo tempo em que o caldeirão político e econômico deve continuar gerando ótimas oportunidades de aplicação financeira, o risco continuará no topo da lista de preocupações dos investidores.
Nesse cenário de incerteza, nos propomos a escrever para nossos leitores nossa visão de quais serão os melhores investimentos de 2016.
Assim como fizemos no final de 2014, quando recomendamos investimento em dólar (alta de +43,17%)1, exposição ao mercado externo (especialmente ações nos EUA), compra de renda fixa pós fixada (melhor opção dentro da classe)2 e ações de empresas exportadoras como Fibria (FIBR3 - +74,33%)3 diante de um cenário conturbado que enxergávamos no período pós eleitoral, traçamos neste momento um panorama daquilo que esperamos para 2016 e como entendemos que é a melhor forma de investir neste cenário.
Como cada investidor tem uma história, um objetivo, um perfil, não pretendemos propor uma carteira one size fits all. Nosso objetivo é traçar cenários para os diferentes mercados de forma a ajudar cada investidor a ter a carteira que melhor atende suas expectativas e necessidades.

Melhor Investimento em 2016 na Renda Fixa

Para 2016, entendemos que a renda fixa ainda terá seu lugar ao sol e continuará sendo um dos melhores investimentos financeiros disponíveis.
Renda Fixa
No Brasil, ainda temos um cenário sui generis, único no mundo, de juros sistematicamente altos o que permite que a renda fixa fique no topo das melhores aplicações com certa frequência. Como analistas de investimento, é nosso papel indicar a melhor forma de se aproveitar dessa característica.
Em 2016, ao contrário do que fizemos em 2015, avaliamos que é o momento para ter um mix mais diversificado na renda fixa. É hora de sair do 100% pós fixado e passar a tomar algum risco.
 CAPÍTULO 2

Por dentro da Renda Fixa: Em que investir e como?

Confira os melhores investimentos em 2016 na Renda Fixa e saiba quais são as possibilidades e como investir.

Pós Fixado

A renda fixa chamada de pós fixada é aquela cuja rentabilidade é pactuada em função de um índice de mercado, geralmente SELIC ou CDI. O resultado do investimento neste tipo de produto depende diretamente do desempenho deste indicador de referência. No grupo da renda fixa, este é o investimento mais seguro.
Em 2016, avaliamos que a renda fixa pós fixada será a melhor opção de investimento para:
Recurso de Liquidez: Para aquele dinheiro que você pode precisar a sacar a qualquer momento ou que sabe que vai precisar em curto espaço de tempo, esse grupo de ativos é a opção mais adequada. Mesmo que não queira ou planeje nenhum resgate nos próximos meses, é sempre bom ter entre 3 e 6 vezes seu gasto mensal neste tipo de reserva para se preparar para o imprevisível.
Se quiser uma dica de boa alternativa de investimento com liquidez diária e baixo risco indicamos que avalie o fundo Porto Seguro FI Referenciado DI Crédito Privado4 ou o BTG Pactual Yield DI FI Referenciado Crédito Privado5.
Rentabilidade AcumuluadaImagem extraída em 08/09/2015 do material de divulgação apresentado pelo administrador do fundo.
Alocação de médio e longo prazo: É claro que ninguém vai ter a melhor rentabilidade possível (e nem precisaria estar lendo este relatório) investindo somente em fundos DI. Eles são importantes para gestão de liquidez, mas raramente são a melhor opção para a maior parte de uma carteira.
Para a parcela dos recursos de renda fixa que não tem expectativa de saque imediato há como investir melhor. Para 2016, mantemos nosso call de alocação em renda fixa crédito privado financeiro pós fixado.Veja como e porque nos próximos tópicos.

Fundos de Renda Fixa

Fundos de renda fixa não são exatamente nossa “maior pedida” para 2016. O motivo é simples:
A economia real do Brasil vai mal. Quando as coisas vão mal, falta dinheiro. Quando falta dinheiro, empréstimos deixam de ser honrados e nessa hora o que era investimento vira prejuízo.
Como a maior parte dos fundos de renda fixa com retornos atrativos tem exposição a setores enfraquecidos da economia e carrega dívidas que muitas vezes têm pouca ou nenhuma estrutura de garantia, não nos sentimos confortáveis em indicar indiscriminadamente este tipo de aplicação. Como toda regra, há exceção. Entretanto, entendemos que o momento é mais propício para outras aplicações.

CDB

CDBO CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, é um empréstimo que você realiza para o banco com o objetivo de ser remunerado pela taxa de juros por depósito.
Além do atrativo da rentabilidade, temos a segurança fornecida pelo FGC - Fundo Garantidor de Créditos. Com esse mecanismo de proteção que funciona como um seguro, toda aplicação em CDB é garantida em caso de quebra do banco até o limite de R$ 250.000,00 por CPF.
Ou seja, até este valor, um CDB de um banco de pequeno porte é tão seguro quanto a poupança e pode render duas vezes mais
Ainda que acreditemos que a taxa de juros venha a cair em 2016(falaremos mais disso adiante) 117% do CDI6 ainda ficará no grupo do “melhor investimento hoje”. Por isso, esse é um ativo que indicamos para carteira.

Outro ponto que entendemos que conta a favor da opção pelo CDB vem de Brasília, tem nome e sobrenome: Joaquim Levy.
Com a necessidade de ajuste fiscal cada vez mais forte, o governo vai ter de aumentar a receita e uma das formas mais usuais de fazer isso é revogar isenções de impostos.
No mercado financeiro, isso coloca em risco especialmente as LCI e LCA que atualmente fogem da mordida do Imposto de Renda. Como o CDB não tem nenhum incentivo fiscal, por hora, ele está escondido do fisco. Para quem já investe em renda variável (se você ainda não investe, pode aprender aqui como investir na bolsa de valores) ou tem apetite para risco o CDB marca mais um ponto. Ele é aceito como garantia em operações no mercado futuro e de day trade.

FONTE:
TORO RADAR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO CONVERTER CRUZADOS EM REAIS?

MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO (EMPRESARIAL)

Como tirar o registro profissional(Mtb) - Jornalistas