sexta-feira, 21 de abril de 2017

CONFIRA E MELHORE SUA POBREZA AGORA !!




25 motivos pelos quais você está pobre - e como melhorar



Slide 1 de 25: If you’re always running out of cash it’s time you got financially savvy. By facing up to poor spending habits and setting yourself a budget you’ll find that not only does your money go further but you may even have some left over. Here’s why you’re broke – and how to keep costs down.





FONTE:

Lovemoney

terça-feira, 18 de abril de 2017

TRABALHO INTELIGENTE JÁ !!



6 dicas para 
trabalhar de maneira 
mais inteligente

A frase "trabalhe de maneira inteligente” varia de pessoa para pessoa, dependendo do seu objetivo e da sua definição de sucesso - algo totalmente único e pessoal. 

Slide 1 de 6: 1. Controle seu tempo <br><br>Jami Novak, coach de gestão de tempo, aponta que poucas pessoas, atualmente, estabelecem um prazo para a realização de determinada tarefa. “Listas do que fazer nos tornam mais produtivos, assim como agrupar as ações e estabelecer prioridades”, diz. Mas isso não significa que você irá terminá-las dentro do tempo pré-determinado ou que qualquer prioridade não vá tomar todo o seu dia. Mas quanto mais você controla seu tempo e adquire autoconhecimento do quanto precisa para realizar cada tarefa, mais tempo terá para realmente definir e reorganizar sua agenda.

Segundo especialistas da área, existem mais de 30 elementos capazes de tornar a maneira de trabalhar mais inteligente, como, por exemplo, potencializar o tempo e o dinheiro de outras pessoas e ter autoconsciência. 


Esta última permite:

  •  priorizar suas próprias necessidades, 
  • pedir ajuda, 
  • eliminar prejuízos e 
  • construir os pontos fortes de maneira intencional. 



Em outras palavras, trabalhar de maneira inteligente significa, essencialmente, 



descobrir suas principais qualidades e 
estabelecer uma rede ao seu redor para 
alcançar metas de maneira rápida e 
o mais eficiente possível.

Resultado de imagem para TEMPO E MOEDASFOTOS

1. Controle seu tempo 
Jami Novak, coach de gestão de tempo, aponta que poucas pessoas, atualmente, estabelecem um prazo para a realização de determinada tarefa.

“Listas do que fazer nos tornam mais produtivos, assim como agrupar as ações e estabelecer prioridades”, diz. 
Mas isso não significa que você irá terminá-las dentro do tempo pré-determinado ou que qualquer prioridade não vá tomar todo o seu dia. 

Mas quanto mais você controla seu tempo e adquire autoconhecimento do quanto precisa para realizar cada tarefa, mais tempo terá para realmente definir e reorganizar sua agenda.


Slide 2 de 6: 2. Use o GPS<br>Não o sistema de localização, mas o ‘goal, purpose, scope” (objetivo, propósito e escopo, em português). Mitzi Weinman, fundador da TimeFinder, que ajuda pessoas a se organizarem em prol da produtividade, e autor do livro “It’s AboutTime! Transforming Chaos into Calm, A to Z”, explica que enquanto o GPS, como sistema de localização, te leva de um lugar a outro, esse outro GPS é um método que ajuda tanto a pessoa que delega a tarefa quanto a que a recebe a permanecerem no caminho. Weinman recomenda começar determinando os objetivos e as metas a partir da pergunta: “Como o trabalho ficará quando acabar?” . O especialista diz que o próximo passo é entender a proposta ou o porquê, para que você possa explicar como o trabalho se encaixa em um projeto ou em algo maior. Para finalizar, forneça às pessoas para quem você está delegando a tarefa todo o escopo do projeto. Isso inclui prazos, formato, público, orçamento, recursos disponíveis (pessoas ou informações) e o seu envolvimento.

2. Use o GPS

Não o sistema de localização, mas o ‘goal, purpose, scope” (objetivo, propósito e escopo, em português). 

Mitzi Weinman, fundador da TimeFinder, que ajuda pessoas a se organizarem em prol da produtividade, e autor do livro “It’s AboutTime! Transforming Chaos into Calm, A to Z”, explica que enquanto o GPS, como sistema de localização, te leva de um lugar a outro, esse outro GPS é um método que ajuda tanto a pessoa que delega a tarefa quanto a que a recebe a permanecerem no caminho. 

Weinman recomenda começar determinando os objetivos e as metas a partir da pergunta: 
“Como o trabalho ficará quando acabar?” . 

O especialista diz que o próximo passo é entender a proposta ou o porquê, para que você possa explicar como o trabalho se encaixa em um projeto ou em algo maior. 

Para finalizar, forneça às pessoas para quem você está delegando a tarefa todo o escopo do projeto. Isso inclui prazos, formato, público, orçamento, recursos disponíveis (pessoas ou informações) e o seu envolvimento.




Slide 3 de 6: 3. Time theming (“tema do tempo”)<br><br>Mike Vardy, um coach de produtividade e fundador da Productivityist, empresa especializada no assunto, afirma que o time theming “esvazia a cabeça da pessoa para focar nas tarefas que são cruciais e, assim, fazer um progresso em todos os setores da vida”. É uma maneira de evitar o cansaço da decisão. Vardy diz que “estabelecer um tema para os meses, semanas e dias dá menos margem para pensar quando se está decidindo o que fazer, porque aquele tempo já recebeu uma espécie de valor de acordo com um tema pré-estabelecido”. O método também pode ser usado para ajudar no equilíbrio entre vida e trabalho. Por exemplo: toda sexta poderia ser definida como o “dia do amigo” e todo sábado como o “dia da família.” Ao nomear as diferentes prioridades da suas semanas ou meses, as pessoas terão mais liberdade e flexibilidade para, finalmente, começar a criar um equilíbrio completo entre vida e trabalho.


3. Time theming (“tema do tempo”)

Mike Vardy, um coach de produtividade e fundador da Productivityist, empresa especializada no assunto, afirma que o time theming “esvazia a cabeça da pessoa para focar nas tarefas que são cruciais e, assim, fazer um progresso em todos os setores da vida”.


É uma maneira de evitar o cansaço da decisão. 

Vardy diz que “estabelecer um tema para os meses, semanas e dias dá menos margem para pensar quando se está decidindo o que fazer, porque aquele tempo já recebeu uma espécie de valor de acordo com um tema pré-estabelecido”. 

O método também pode ser usado para ajudar no equilíbrio entre vida e trabalho. 

Por exemplo: toda sexta poderia ser definida como o “dia do amigo” e todo sábado como o “dia da família.” 

Ao nomear as diferentes prioridades das suas semanas ou meses, as pessoas terão mais liberdade e flexibilidade para, finalmente, começar a criar um equilíbrio completo entre vida e trabalho.



Slide 4 de 6: 4. Crie uma nova estratégia de email <br><br>O email é um dos maiores consumidores de produtividade da atualidade, levando as pessoas a trabalharem mais e, geralmente, de maneira ineficiente. Muitas vezes, elas estão se transformando em profissionais multitarefas, mas nem percebem. Por exemplo: a pessoa recebe uma notificação de um novo email, clica sem perceber e para o que está fazendo. Depois de ler a mensagem, ela precisa decidir se vai responder na hora, se vai deixar para mais tarde e, em seguida, voltar ao que estava fazendo - e lembrar de onde parou. Situações como essas fazem as pessoas terem a sensação de que estão trabalhando muito e de que estão constantemente ocupadas, já que estão sempre realizando tarefas e prejudicando a produtividade e o foco. Vardy recomenda o uso de ferramentas que ajudem a criar uma estratégia para gerenciar os emails. Comece com a criação de uma pasta para cada dia da semana. Durante os horários pré-determinados para checar as mensagens, delete os novos ou coloque-os nos dias em que você planeja responder. O objetivo é nunca ter um email na sua caixa de entrada, mas tê-los separados em dias específicos da semana.


4. Crie uma nova estratégia de email 

O email é um dos maiores consumidores de produtividade da atualidade, levando as pessoas a trabalharem mais e, geralmente, de maneira ineficiente. 

O objetivo é nunca ter um email na sua caixa de entrada, mas tê-los separados em dias específicos da semana.

Muitas vezes, elas estão se transformando em profissionais multitarefas, mas nem percebem. 

Por exemplo: a pessoa recebe uma notificação de um novo email, clica sem perceber e para o que está fazendo. 

Depois de ler a mensagem, ela precisa decidir se vai responder na hora, se vai deixar para mais tarde e, em seguida, voltar ao que estava fazendo - e lembrar de onde parou. 

Situações como essas fazem as pessoas terem a sensação de que estão trabalhando muito e de que estão constantemente ocupadas, já que estão sempre realizando tarefas e prejudicando a produtividade e o foco. 

Vardy recomenda o uso de ferramentas que ajudem a criar uma estratégia para gerenciar os emails. 

Comece com a criação de uma pasta para cada dia da semana. 

Durante os horários pré-determinados para checar as mensagens, delete os novos ou coloque-os nos dias em que você planeja responder. 

O objetivo é nunca ter um email na sua caixa de entrada, mas tê-los separados em dias específicos da semana.


Slide 5 de 6: 5. Não comece do começo<br><br>“Não reinvente a roda... começar do zero é uma grande perda de tempo”, afirma Jami. Em vez disso, ela recomenda achar e modificar modelos que você já utilizou no passado ou achar alguém que já tenha feito antes aquilo que você precisa agora. Isso vai permitir que você otimize outras pessoas ou outros recursos para alcançar seu objetivo da maneira mais eficiente possível.

5. Não comece do começo

“Não reinvente a roda... começar do zero é uma grande perda de tempo”, afirma Jami. 

Em vez disso, ela recomenda achar e modificar modelos que você já utilizou no passado ou achar alguém que já tenha feito antes aquilo que você precisa agora.

Isso vai permitir que você otimize outras pessoas ou outros recursos para alcançar seu objetivo da maneira mais eficiente possível.



Slide 6 de 6: 6. Faça anotações para você <br><br>Interrupções ou limitações de tempo, às vezes, não podem ser evitadas. Sempre que você precisar parar uma tarefa antes de terminá-la, Jami recomenda "deixar pequenos recados para você mesmo". A anotação deve detalhar onde você parou, para que seja possível continuar a partir daquele ponto sem perder tempo tentando lembrar onde estava e qual era o próximo passo planejado.<br><br>Tenha em mente que trabalhar de maneira mais inteligente é achar a maneira mais eficiente de alcançar metas. Isso inclui, frequentemente, otimizar pessoas e recursos e utilizar a auto-consciência para construir seus pontos fortes e delegar quando apropriado. Quanto mais percepção você tem de você mesmo e do seu estilo de trabalhar, mais fácil fica encontrar maneiras inteligentes de executar as suas tarefas e de alcançar o equilíbrio entre vida e trabalho.



6. Faça anotações para você 

Interrupções ou limitações de tempo, às vezes, não podem ser evitadas. 

Sempre que você precisar parar uma tarefa antes de terminá-la, Jami recomenda "deixar pequenos recados para você mesmo"

A anotação deve detalhar onde você parou, para que seja possível continuar a partir daquele ponto sem perder tempo tentando lembrar onde estava e qual era o próximo passo planejado.


Tenha em mente que trabalhar de maneira mais inteligente é achar a maneira mais eficiente de alcançar metas. 


Isso inclui, frequentemente, otimizar pessoas e recursos e utilizar a auto-consciência para construir seus pontos fortes e delegar quando apropriado. 

Quanto mais percepção você tem de você mesmo e do seu estilo de trabalhar, mais fácil fica encontrar maneiras inteligentes de executar as suas tarefas e de alcançar o equilíbrio entre vida e trabalho.



FONTE:
Logotipo do(a) Forbes Brasil

quinta-feira, 6 de abril de 2017

HOME OFFICE: EVITE ESTES ERROS !!

5 erros que estão acabando com a produtividade do seu home office

Robert Kelly, professor entrevistado pela BBC quando teve o quarto invadido por seus filhos



© image/jpeg Robert Kelly, professor entrevistado pela BBC quando teve o quarto invadido por seus filhos
São Paulo — Um professor universitário que trabalhava de casa teve sua entrevista com um apresentador de TV divertidamente “invadida” por seus dois filhos pequenos , e o vídeo se transformou rapidamente em um hit da internet, com mais de 23 milhões de visualizações só no canal oficial da BBC no YouTube.
Cenas como essa são vividas todos os dias por quem faz home office ; a diferença é que não são transmitidas ao vivo pela televisão.  
O motivo é que grande parte das empresas não dá treinamento adequado para quem trabalha de casa, o que dá margem a uma infinidade de interrupções, ruídos e problemas de todo o tipo, explica André Brik, especialista em home office do Instituto Trabalho Portátil.
O caso do professor entrevistado pela BBC é especialmente emblemático, porque os protagonistas da confusão são seus filhos — justamente quem tem mais dificuldade para compreender o conceito ambíguo de um pai ou mãe que se encontra  em casa, mas não está realmente disponível para interação.
O problema, diz Brik, é que a criança frequentemente confunde presença com acessibilidade. É preciso explicar cuidadosamente as regras da situação ou transformar tudo em um jogo. “Em certos casos, resta buscar ajuda de profissionais como babás, amigos ou parentes, ou só trabalhar em casa enquanto as crianças estiverem na escola”, comenta ele.
Claro que não dá para colocar toda a culpa nos pequenos: mesmo os adultos têm dificuldade para entender o home office. Não é raro que outras pessoas que moram na casa dificultem a vida do trabalhador remoto com barulhos, pedidos e interrupções constantes. Em muitos outros casos, é o próprio profissional quem se autoboicota e toma decisões nocivas à sua produtividade .
Segundo Cleo Carneiro, vice-presidente da Sobratt (Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades), a responsabilidade pelo sucesso dessa modalidade de trabalho é compartilhada por empregador e empregado. “A companhia precisa dar treinamento e sensibilizar a equipe, mas o funcionário também precisa ter disciplina e tomar todas as atitudes necessárias para não perder o foco”, afirma ele.
A seguir, os especialistas ouvidos por EXAME.com apontam os 5 erros mais comuns entre profissionais que trabalham de casa —  e eles vão muito além de simplesmente não trancar a porta durante uma entrevista com a BBC enquanto seus filhos estiverem em casa: 

1. Passar o dia de pijama

Se você vai cumprir o expediente no seu quarto, para que colocar uma roupa “apresentável”? Segundo Brik, escolher uma vestimenta adequada, igual àquela que você escolheria para ir ao escritório, faz muita diferença sim.
“Cada detalhe precisa simular a sua ‘saída’ para o trabalho, inclusive para sinalizar para as demais pessoas da casa que você está no seu ‘modo’ profissional”, afirma o especialista.
Se você passa o dia vestido de forma desleixada, até a sua disposição psicológica muda para pior. Sem que você perceba, o conforto do pijama pode torná-lo ainda mais vulnerável a distrações.

2. Ceder à tentação do sofá

Outro grande erro, diz Carneiro, é descuidar da sua estação de trabalho. Ela precisa ser tão limpa, organizada e ergonômica quanto seria em um escritório convencional. Segundo ele, é estritamente proibido ficar no sofá ou na cama.
Aparentemente confortáveis num primeiro momento, esses móveis não são adequados para essa finalidade e podem gerar dores no corpo ao final do dia. E mais: a reincidência de posturas erradas traz problemas de saúde no futuro.


3. Trabalhar sem cronograma

Segundo os especialistas consultados, fazer uma boa administração do próprio tempo é o grande segredo para um home office bem-sucedido. Além de uma agenda para o mês e para a semana, é importante contar com uma lista de tarefas que você precisa cumprir naquele dia, com horários bem delimitados.
Para obter eficiência máxima, o conselho de Brik é dividir o seu tempo em blocos de uma ou duas horas, e fazer intervalos de 10 minutos entre eles. Enquanto durar cada bloco, você está proibido de checar as redes sociais, conversar com alguém da casa ou “assaltar” a geladeira. A pausa servirá justamente para fazer tudo isso e, assim, aliviar a tensão.

4. Não deixar regras combinadas com o empregador

Muitos problemas vividos durante o home office poderiam ser evitados se a comunicação entre as partes envolvidas fosse melhor. “Você precisa definir com a empresa certos protocolos de trabalho”, explica Brik. Isso envolve combinados sobre os momentos em que será preciso conversar e dar feedback sobre resultados ao longo do dia, por exemplo.
Qual será a ferramenta usada para conversar com pares, subordinados e gestores? Quando você sai do computador, precisa colocar o status ‘ocupado’ ou ‘ausente’ no chat? Quanto tempo dura o intervalo do almoço? A quem você deve recorrer se tiver algum problema técnico com o software usado para o trabalho? As respostas a todas essas questões, das mais operacionais às mais complexas, devem ser bem conhecidas pelas duas partes, ou haverá desencontro e conflito.

5. Duvidar, lá no fundo, que home office é trabalho de verdade

Praticado há relativamente pouco tempo no Brasil, o trabalho à distância é alvo de desconfiança de empresas e até de profissionais. “Existe ainda uma ideia conservadora, criada nos anos 1950, de que trabalhar é igual a tomar café da manhã, pegar a maleta e ir até o escritório”, diz Brik. Ter “permissão” para “ficar em casa” em vez de ir ao prédio da empresa é visto como privilégio.
O preço dessa percepção para a produtividade é imenso. “Fica a sensação de que home office não é algo sério, e que é aceitável relaxar enquanto se está em casa”, diz Brik. Compreender essa mudança de paradigma é fundamental para se dar bem com o home office e com qualquer outra modalidade alternativa de trabalho, inclusive os espaços de coworking.   


FONTE: